Make your own free website on Tripod.com
Insetomaniacs
Insetomaniacs


    Principal
    História
    Definições
    Formigas
    Baratas
    Cupíns
    Contato



    Definição de Insetos

     Como Identificar um Inseto ?
     Cores
     Locomoção
     Respiração
     Alimentação
     Digestão
     Circulação
    
     Excreção
     Sistema Nervoso
     Visão
     Audição
     Reprodução
     Classificação
     Prós e Contras

    Como Identificar um Inseto ?

Eles são pequenos, com esqueleto externo o corpo dividido em três partes bem definidas: a cabeça, o tórax e o abdome. Na cabeça há um par de antenas, os olhos e as peças bucais; no tórax estão as asas e os três pares de patas, e o abdome termina com o aparelho reprodutor.

O sucesso dos insetos na conquista do nosso planeta se deve a muitos fatores, entre eles as características de seu revestimento, a diversificação dos hábitos alimentares, a capacidade de voar, os diferentes mecanismos relacionados com a reprodução e, finalmente, os sistemas de defesa.

O revestimento dos insetos, ou seu tegumento, é formado por um exoesqueleto (do grego éxo, 'para fora') cujo o aspecto varia bastante nas diferentes espécies; em algumas é flexível e mole, em outras é uma armadura espessa e rígida. Pode apresentar pêlos, escamas, espinhos, pigmentos, substâncias que conferem cores aos insetos.

As funções do tegumento são: proteger os órgãos internos, servir de apoio para os músculos, principalmente, evitar que o inseto perca água, essencial a todosos processos fisiológicos do animal.
O exoesqueleto funciona com uma armadura e impede o crescimento dos insetos; por isso eles sofrem mudas periódicas.
Índice

    Cores

As cores dos insetos são muitas e se devem à presença de diferentes substâncias químicas no tegumento, como os pigmentos e restos de substâncias alimentares que nele se acumulam.
A cor apresenta funções diversas. Pode atrair indivíduos da mesma espécie ou evitar predadores.
Outro papel importante da cor é no fenômeno que chamamos Mimetismo ( do grego mimetós, 'imitado'), que é a capacidade que alguns animais têm de tomar a cor e a configuração de elementos do meio em que vivem ou mesmo de outros animais.

Há ainda espécies que possuem a capacidade de mudar de cor de acordo com o substrato (ambiente) em que se encontram. Se o substrato é escuro, o animal torna-se escuro; se é claro, o animal também tornar-se-ia claro.
Índice

    Locomoção

Procure observar um inseto voando. Certamente duas coisas vão chamar sua atenção; a velocidade com que ele realiza seus movimentos e a rapidez com que muda de direção. Essas são as duas principais características do vôo dos insetos.

Embora algumas espécies não tenham asas, o vôo é o meio de locomoção mais importante para a maioria dos insetos e é um dos grandes responsáveis pelo sucesso na conquista de tantos ambientes da biosfera. Os insetos também se locomovem andando, utilizando suas seis patas, que desempenham a função de avançar ou servir de apoio durante a marcha, descrevendo um movimento ondulatório.
Cada pata tem um par de garras em sua extremidade e, entre garras, uma almofadinha carnosa que está permanentemente úmida (arólio). Quando a superfície é áspera, os insetos usam as garras para se apoiar nas pequenas saliências; quando é lisa, como o vidro, por exemplo, é a almofadinha úmida e pegajosa que adere, permitindo ao inseto caminhar.

Já os insetos que vivem na água, para se locomover usam pêlos ou cerdas existentes em suas patas e no abdome. Esses pêlos e cerdas formam um leque, o qual funciona como uma nadadeira.
Há ainda insetos capazes de andar sobre a água, sem afundar, e isso é possivel por causa da tenção superficial da água, que sustenta o animal.
Índice

     Respiração

Os insetos terrestres têm um aparelho, respiratório do tipo traqueal. As traquéias são tubos elásticos, revestidos por um cutícula, que se ramificam intensamente, distribuindo o ar por todo o corpo.
As traquéias se abrem para a superfície do exoesqueleto por meio de pequenos orifícios chamados estígmas, de número variável nas diferentes espécies.

Os insetos que vivem na água podem obter oxigênio para a respiração de várias maneiras.
Algumas larvas retiram o oxigênio que está dissolvido na água por meio de órgãos especializados - as brânquias aquáticas. Outras utilizam o sistema de traquéias, que se reúnem em um único tubo, mais largo, chamado de sifão inalante. Para respirar, precisam ir até a superfície da água e, então, obter o ar atmosférico, do qual retiram o oxigênio. Esse é o tipo de respiração das larvas de pernilongo.
Índice

    Alimentação

A alimentação é um dos aspéctos mais estudados dos insetos, pois seus hábitos alimentares, que atingem diretamente o homem, causam prejuízos à economia e à saúde.
A alimentaçào está relacionada à forma do aparelho bucal, que pode ser de três tipos: Mastigador, Sugador e Lambedor.

Os insetos mastigadores ou trituradores se alimentam de folhas vegetais, madeira, raízes, sementes, frutos ou outros animais.
Os sugadores nutrem-se de líquidos - a seiva dos vegetais ou o sangue dos animais.
Entre os lambedores estão as abelhas, que se alimentam do mel que fabricam, e as formigas, dos fungos que cultivam em seus formigueiros.

Uma grande quantidade de insetos se alimenta das flores. Nessa atividade de coleta, os grãos de pólen ficam presos ao corpo dos insetos e, dessa maneira, passam de uma planta para outra, permitindo a polinização e fecundação cruzada.
A importância dos insetos na polinização é tão grande que os agricultores criam abellhas no meio das plantações ou alugam colméias na época da florada, obtendo, com isso, uma produção muito maior ou frutos de melhor qualidade.
Índice

    Digestão

O alimento triturado pelas peças bucais é armazenado no papo, onde a digetão se inicia pela ação de enzimas da saliva. Daí, é empurrado para a moela, que completa a trituração, para que o alimento possa ser digerido pelas enzimas dos cecos gástricos e absorvido pelo intestino. Os restos formam as fezes, que sào eliminadas pelo ânus.
Nos intestinos dos lambedores e sugadores, não acontece a trituração, já que o alimento é líquido.
Índice

    Circulação

O sangue dos insetos tem apenas a função de transportar o alimento absorvido depois da digestão e os produtos de excreção.
A circulação se faz por um vaso dorsal, da parte de trás para a parte da frente do animal, impulsionada pelas câmaras do coração.
Índice

    Excreção

A excreção é feita pelos tubos de Malpighi. Esses tubos variam em número e tamanho, conforme a espécie, mas são formados por uma única camada de células cúbicas que retiram do sangue as substâncias a serem eliminadas.
Índice

    Sistema Nervoso e órgãos dos sentidos

O sistema nervoso controla todas as atividades do animal e apresenta terminações nas diferentes partes do corpo. São nervos que se ramificam intensamente, atingindo muitas estruturas da superfície do corpo, que estão em contato com o meio ambiente, como os pêlos sensoriais, olhos e antenas.
É formado por um cordão nervoso ventral ligado a pares de gânglios na cabeça, tórax e abdome, de tal forma que cada uma das 3 partes do inseto funciona de modo semi-automático.

Os pêlos sensoriais são órgãos dos sentidos que desempenham um papel na percepção que o inseto tem do mundo ao seu redor.
Exitem pêlos sensoriais para o equilíbrio, para gosto e olfato, vibrações de terra, de objetos e de correntes de ar, vibrações sonoras e temperatura.

Gosto e Olfato são sentidos que não podem ser separados nos insetos. Neles esses sentidos estão situados em pêlos sensoriais nas antenas, nas patas e me algumas partes do aparelho bucal.
As Antenas são importantes órgãos sensoriais e estão presentes em todos os insetos. Apresentam-se em número de duas e se situam na cabeça, próximas aos olhos. Fornecem muitas informações a respeito do meio exterior: sabor, odor, temperatura, umidade, vibrações sonoras e impressões de contato.
Índice

    Visão

A visão dos insetos é muito limitada quando comparada à dos outros animais.
Os Olhos são compostos, isto é, são formados por inúmeras unidades chamadas Omatídeos, células cuja superfície externa tem a forma de um hexágono.
Cada omatídeo funciona como um olho simples , e os insetos podem ter centenas ou milhares deles. Desse modo, acredita-se que a imagem que enxergam seja algo parecido com um mosaico, vendo cada omatídeo, um pedacinho da imagem total.

A mosca doméstica tem 4.000 omatídeos formando seus olhos. Algumas libélulas, cerca de 28.000.
Esse tipo de olho parece não permitir a focalização a grandes distâncias; a imagem só seria nítida a distâncias menores que um metro. No entanto, mostra-se eficiente à percepção dos movimentos, pois um objeto ou animal se deslocando registra impressões nas diferentes facetas do olho, uma após a outra.
Os insetos não enxergam todas as cores que o ser humano, no entanto são capazes de enxergar a luz ultravioleta e, por isso, percebem cores invisíveis aos nossos olhos.
Os insetos se orientam pela luz solar, mesmo com o céu encoberto, já que parte da luz ultravioleta atravessa as núvens.
Além dos olhos compostos, os insetos apresentam Ocelos(do latim ocellus, 'olhinho'), que se encontram na lateral e no dorso da cabeça. Sua principal função é a percepção da luz e não a formação da imagem como é o caso dos omatídeos.
Índice

    Audição

A grande maioria dos insetos não ouve como nós. São capazes de detectar, por segundo, de algumas até 90 mil vibrações. Freqüências tão baixas e tão altas são inaudíveis para o homem. Podemos captar de 20 a 20 mil vibrações por segundo.

O som tem como objetivo comunicar, alertar, reunir etc...
Outra maneira usada pelos insetos para produzir sons é esfregar uma parte do corpo em outra. Os sons produzidos por fricção recebem o nome de estridulação. A estridulação está ligada à atração sexual e, em geral, é feita pelo macho, raramente pelas fêmeas.
Finalmente, os insetos produzem sons pela vibração das asas durante o vôo.
Índice

    Reprodução

Assim como todos os outros aspéctos da vida dos insetos, a reprodução também apresenta muitas variações, desde a forma de atração entre os sexos, a cópula, os locais de postura de ovos até o desenvolvimento destes.

Os machos e fêmeas dos insetos podem ser muito parecidos ou praticamente iguais, e também podem ser muito diferentes. Às vezes, eles são tão diferentes um do outro que chegamos a pensar que não pertencem à mesma espécie. A essa diferença chamamos Dimorfismo Sexual.

Internamente, os aparelhos reprodutores, que estão situados na parte final do abdome, são muito simples e praticamente iguais.
A parte externa dos aparelhos reprodutores masculino e feminino, no entanto, é bastante complicada e varia muito em forma e tamanho, nas diferentes espécies.
As fêmeas dos insetos possuem uma estrutura curiosa, a espermateca ou receptáculo seminal, que tem por função armazenar os espermatozóides do macho após a cópula.
Os machos de algumas espécies podem ter um espermatóforo, uma bolsa em que o macho descarrega seus espermatozóides, transferindo-o para a fêmea durante a cópula.
Para que a fecundação interna ocorra, é preciso que macho e fêmea se aproximem para o acasalamento. O acasalamento pode ocorrer no solo, em vegetais e até mesmo no ar, em pleno vôo, como acontece com as abelhas e as formigas, que possuem asas somente nesse período.

Os ovos dos insetos possuem uma casca resistente e uma grande quantidade de nutrientes no seu interior. Por essa razão, durante a formação dos ovos, a fêmea precisa ingerir uma quantidade maior de alimento a fim de obter mais proteínas, açúcares e gorduras.
Em geral, os óvulos das fêmeas dos insetos são fecundos pelos espermatozóides dos machos, mas há casos em que isso não ocorre, sendo o óvulo não-fecundado capaz de desenvolver-se e dar origem a outro inseto. Esse processo recebe o nome de partenogênese e é muito comum entre os pulgões das plantas, as vespas, abelhas, formigas e outros.
O local escolhido pelas fêmeas para postura de ovos é sempre abundante em alimentos.
Muitas espécies de moscas possuem larvas que infestam animais vertebrados vivos, parasitando-os. Esse tipo de infestação chama-se miíase. Muitas dessas moscas colocam seus ovos diretamente na pele sadia ou em feridas como é o caso da mosca-bicheira ou mosca-varejeira, cuja fêmea coloca uma massa compacta de 200 a 300 ovos, que eclodem em menos de 24 horas. As larvas se alimentam dos tecidos da pele do animal.

A grande maioria dos insetos passa por grandes transformações, desde o ovo até a forma adulta. O conjunto dessas transformações denomina-se metamorfose.
Os que não passam por metamorfose ou seja, do ovo nasce um indivíduo jovem, idêntico ao adulto na forma, mas de tamanho muito menor, são chamados ametábolos (do grego a, 'negação', 'não' + metabole, 'mudança'). Um exemplo desse tipo de inseto é a traça-dos-livros.

Existem outros insetos que sofrem metamorfose, porém incompleta. Do ovo nasce um indivíduo semelhante ao adulto, muito menor e sem asas, chamado ninfa. A ninfa passa por várias mudas do exoesqueleto para poder crescer, e nos últimos estágios aparecem asas. São os insetos hemimetábolos. Hemi significa 'método'. Este é o caso das libélulas, grilos, gafanhotos, baratas, cupins e do bicho-barbeiro, entre outros.
Os insetos que apresentam metamorfose completa são os holometábolos (do grego holos, ínteiro') que têm seu ciclo de vida assim:
ovo - larva - pupa - adulto inseto. Nesse grupo estão a formigas, abelhas, vespas, besouros, borboletas, mariposas, moscas e pernilongos.
Índice

    As Ordens

Os grupos de insetos são chamados de Ordens.

Ordem Thysanura (Do grego Thysánouros, 'de cauda franjada'): Nessa ordem de insetos encontramos animais bem pequenos, de no máximo 3cm, sem asas e com o corpo coberto de escamas. As antenas são finas e compridas, e o aparelho bucal é mastigador. Esses insetos são ametábolos (num link ou title: possuem desenvolvimento sem metamorfose.

Ordem Orthoptera (Do grego orto, 'direito',+ pterón,'asa'): Os animais dessa ordem têm patas longas, as quais lhe permitem saltar e/ou cavar. O aparelho bucal é mastigador e a maioria é herbivora. Possuem 2 pares de asas. Devido à estrutura de suas asas esse insetos podem voar e planar.
Apresentam sexos diferenciados.
O gafanhoto é um hemimetábolo por sofrer mudas para poder crescer e as asas se desenvolverem.

Ordem Lepdóptera (Do grego lepís, 'escama') : possuem 4 asas membranosas cobertas por escamas, assim como o resto de seu corpo. Aparelho bucal dos adultos tem a forma de uma tromba que se enrola em espiral, ou seja, são sugadores. Nas larvas ou lagartas, o aparelho bucal é triturador e elas se alimentam de vegetais.

Ordem Diptera (Do grego di, 'dois') : As principais características deste grupo são: um par de asas membranosas e aparelho bucal sugador ou picador, como acontece com o pernilongo.
Muitos dípteros pôem ovos na água e suas larvas são aquáticas.
Os dípteros podem ainda transmitir doenças através da picada no homem ou através da contaminação de alimentos, uma vez que esses tipos de inseto carregam microorganismos em seus pêlos e patas depois de pousarem no lixo ou excremento.

Ordem Hymenoptera (Do grego hymén, 'membana') : São insetos lambedores, que possuem 2 pares de asas. Sofrem, durante seu desenvolvimento, metamorfose completa.
Dentro dessa ordem aparecem, freqüêntemente, espécies que são parasitas de outros insetos e também algumas espécies sociais Aí se encluem as formigas, vespas, marimbindos e as abelhas.

Ao todo são 29 ordens, compreendendo perto de 1.000 de famílias, milhares de gêneros e cerca de 850.000 espécies.
Os insetos, junto com os vertebrados, são os animais mais bem sucedidos habitantes do ambiente terrestre. Índice

    Prós e Contras

Embora fascinantes, vimos o quanto alguns insetos podem ser prejudiciais ao homem, e de diversas formas, que vão desde o ataque a plantações e animais até a transmissão de inúmeras doenças, algumas fatais.

Conhecemos larvas que parasitam o homem e as criações, que se alimentam de vegetais, destruindo lavouras, alimentos estocados, madeira, papel e tecidos.
Esses insetos afetam diretamente a vida do homem , que vive em constante luta contra eles - o que é fácil perceber pelo grande número de produtos químicos produzidos com a finalidade de eliminá-los ou afastá-los.

Apesar de tudo isso, não podemos, de modo algum, esquecer o papel que, de um modo em geral, eles desempenham no nosso ecossistema.
Alguns são partes da cadeia alimentar de vários outros animais silvestres; outros atuam como agentes controladores da população de muitas espécies, através da predação ou do parasitismo.

A vida dos insetos é repleta de um sem-número de detalhes e fatos interessantes.
Índice


Topo
© 2005 - Insetomaniacs - Fabianoz Sites